Revista Recre@rte Nº6 Diciembre 2006 ISSN: 1699-1834      http://www.iacat.com/Revista/recrearte06.htm

 

 

 

Arte pública apresenta, por ocasião do DIA INTERNACIONAL DA MULHER, a sua mais recente Produção: MARIANAs .

Quem são estas MARIANAs ?

Mulheres, simplesmente. Apaixonadas. Escravas. Prisioneiras das suas emoções. Libertárias - porque se libertam de grilhetas culturais. Arrojadas. Vítimas. Cúmplices. Temerosas. E temerárias.

Conhecidas internacionalmente, traduzidas por Rilke, citadas por Papini, as Cartas Portuguesas constituem um canto sobre a paixã o , matizado por diferentes andamentos.

Sobre elas, e tendo como fonte o Projecto Vercial , citamos:

 

"As Cartas Portuguesas sã o atribuídas a uma freira de Beja - Soror Mariana Alcoforado (1640-1723) . Era uma religiosa que professou no Convento da Conceiçã o em Beja, tendo sido escrivã e vigária do mesmo convento.

Foi-lhe atribuída a autoria das Lettres Portugaises , publicadas em Paris em 1669 por Claude Barbin. No mesmo ano sã o publicadas em Colónia com o título Lettres d'amour d'une religieuse portugaise . Nesta última ediçã o , uma nota informa que as cartas foram dirigidas ao cavaleiro de Chamilly e tinham sido traduzidas para francês por Guilleragues.

Boissonade faz saber em 1810 que encontrou um manuscrito das cartas que indica que a autora das mesmas se chamava « Mariana Alcoforado, religiosa em Beja». Os investigadores actuais duvidam, no entanto, da atribuiçã o desta autoria. As cartas tiveram várias traduções para português, sendo a última de Eugénio de Andrade (Lisboa, Assírio Alvim, 1993)."

Em MARIANAs , será dada especial atençã o à terceira carta, onde sã o evidentes a desilusã o , o engano, o tormento, a incerteza, a fraqueza, a insatisfaçã o da Mulher - uma mulher duplamente enclausurada, note-se - perante o objecto - nã o correspondido - da paixã o .

Iremos também cruzar com esta outras Cartas , bem mais contemporâneas: as Novas Cartas Portuguesas – escritas por aquelas que ficaram conhecidas, com esta publicação, em 1974, pelas Três Marias : Maria Isabel Barreno, Maria Teresa Horta e Maria Velho da Costa - que, partindo do mote dado pela publicaçãção das Lettres Portugaises , constroem um exercício literário sobre a condiçã o da mulher portuguesa ao longo dos tempos .

 

Selecçã o de textos/Interpretaçã o
Gi Cañamero

Violoncelo
Halina Berezowvska

Canto
Isabel Moreira

 

3º ciclo de formación en Creatividad acorde con la C.U.E.

               > Master profesional (abierto a todos)
               > Master Académico (para titulados)
               > Doctorado (para masters)

Julio 2007. Encuentros Creadores. Escuela de verano de la Creatividad.    www.micat.net